Publicado por: Malhado | 13-12-2010

A festa do Noel

Para quem não é cristão o natal é uma data complicada, especialmente para a esmagadora maioria de nós que não tem como festejar a data com quem não o seja. Para eles a data tem um significado religioso forte, e discussões à parte do quanto desse significado foi usurpado de várias religiosidades pagãs o importante é que nessa época uma coisa muito especial também acontece para nós: as pessoas pensam em conceitos como tolerância, amor, paz, harmonia e família.

Então, para um druidista ou qualquer outro pagão, o que fazer nessa data? Afinal, o Solstício de Verão já terá passado e pessoalmente não gosto de misturar as energias de uma festa com uma celebração que para nós é um dos pináculos de nossa religiosidade. Também não é justo que todos recebam presentes e uma criança de outra crença não os receba também. A resposta para esse enigma é bastante simples: Papai Noel.

Além do fato dele ser a fada mais conhecida e celebrada da atualidade e de tudo o que emana dele, bem como toda a magia que se conhece a seu respeito ser absurdamente feérica, Noel transcende crenças e ignora rixas e picuinhas que só existem nos corações dos mais velhos e daqueles que perderam a capacidade de viver no mundo do sonho. Existe também uma questão de inclusão social muito pertinente e séria que precisamos considerar, e que tem relação direta com a nossa fé: independente da religião de nossos familiares, eles fazem parte da nossa linhagem de sangue, e são a nossa ascendência e a nossa descendência, aliás termos que são usados de forma tão errada que vale à pena explicar antes de continuarmos:

  • Ascendência: quem nasceu antes de nós ou quem esteja anterior a nós em nossa árvore genealógica. Se você tem um tio mais novo que você, por exemplo, ele faz parte da sua ascendência. Será um dos antepassados na sua linhagem. Pais adotivos e sua respectiva estrutura familiar também serão sua ascendência, e os laços que não se formaram no sangue estarão presentes na alma.
  • Descendência: quem veio a partir de nós. Nossos filhos, netos, etc. Sobrinhos muito próximos eu também considero como parte da minha descendência, pois cuido deles e os amo como parte de mim, e é inclusive indicado e natural incorporar na sua descendência quem adotemos, legalmente ou afetivamente, seja como filhos, seja como agregados.

Passar essa festa ou qualquer oportunidade possível junto à sua família é prestar atenção num dos pilares do Druidismo. E já que falamos tanto de honrar nossos antepassados, que tal compreender esse conceito melhor honrando aqueles que ficarão depois de nossa partida? Afinal, são as crianças as que mais se engajam no natal, e a responsabilidade de tudo isso é de ninguém menos que do Sr. Noel.

Ao cuidarmos dos pequenos, dando-lhes meios para conviver em sociedade e ainda por cima conhecer melhor a religião na qual são criados, no caso de pais que tenham filhos druidistas, damo-lhes meios de crescer mais felizes e fortalecemos seus espíritos para lidar com o mundo enquanto elas celebram um tempo onde a paz e a tolerância são o foco. E o melhor de tudo é que tudo isso é feito com os familiares, muitos dos quais talvez só vejamos nessas poucas ocasiões. É uma oportunidade como poucas que devemos aproveitar de estar com eles. Para os mais jovens e quem ainda more com os pais, meu conselho é que cultivem a paz.

Quanto aos presentes, eu prefiro abri-los na manhã do dia seguinte, pois é a tradição do bom velhinho deixá-los ao pé da árvore enquanto dormimos. Colocá-los ao lado das crianças enquanto dormem é também muito interessante e faz sucesso, mas como usa-se abrir os presentes à meia-noite, sugiro deixar abrir apenas um deles nesse momento, também devido à questão de inclusão social, deixando o resto para abrir pela manhã, o que deve ser um evento a parte.

Quanto ao significado da festa, se para eles é o nascimento de seu messias, para nós é quanto uma fada vem trazer à humanidade uma mensagem de paz e convivência entre as pessoas, lembrando-nos de que somos todos parte da mesma teia. Se eles dizem “feliz natal“, cumprimente em retorno, e se eles te dão uma bênção de sua divindade, retribua com uma bênção da sua fé.

E tenhamos todos um feliz natal, honrando nossos Deuses e nossos anciãos, enquanto ensinamos a nossas crianças a viver num mundo mais pacífico a aprendemos o valor da família.

Anúncios

Responses

  1. […] maiores problemas para quem celebra o Verão no hemisfério sul são a Festa do Noel e a clara inversão de estações na mente das pessoas, que hoje em dia celebram datas ao invés de […]

  2. Texto realmente perfeito, com cada texto desse ser humano maravilhoso que é o Malhado eu aprendo mais e mais como vivenciar minha nova crença. Que os Deuses te iluminem sempre e sempre, meu caro!

    • Adorei o artigo. Na verdade me fez refletir muito a respeito, nunca havia relacionado a ideia do Noel com as fadas!!! Agora vou tentar me animar mais para esta data, mesmo tendo crenças diferentes dos familiares! =)


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: