Publicado por: Malhado | 13-01-2011

Conversão

Volta e meia me perguntam como alguém deve fazer para “converter-se” ao Druidismo, e muitas vezes essa pergunta vem acompanhada de um pedido de “ritual de auto-iniciação”, ou algo similar. Como não acredito que a conversão para o Druidismo seja possível e o máximo que posso oferecer é um  ritual de apresentação, acho que é hora de explicar mais aprofundadamente tudo isso.

Creio que ninguém se converte ao Druidismo, mas descobre-se nele. Normalmente tudo começa com um interesse que pode florescer através do contato com a natureza ou outras correntes pagãs, outras vezes devido às historias arthurianas e tudo o que nelas é inspirado, ou mesmo por causa da vasta utilização da “mitologia celta” nas diversas áreas de entretenimento e mídia. Aliás não gosto de utilizar o termo “mitologia” por achá-lo pejorativo e prefiro o termo “histórias e lendas celtas” em seu lugar. De qualquer forma, e venha de onde e como vier, esse interesse inicial pode se tornar mais intenso, e quando isso acontece muitas pessoas sentem o impulso de pesquisar quem foram os celtas, como viviam e tudo o que tenha haver com eles. O interesse espiritual é uma etapa natural dessa pesquisa, e dentre tanta desinformação que existe na Internet e em livros encontrados facilmente nas prateleiras de títulos “esotéricos“é possível encontrar, especialmente nos livros de história e “mitologia“, informações de melhor qualidade acerca dos celtas.

Daí ouvem falar no Druidismo, e só o nome Druidismo já é algo bastante complicado, pois existem diversas correntes dele, algumas com pouco ou praticamente nenhum comprometimento com o estudo histórico-arqueológico dos celtas, e os obstáculos para se entender o que realmente seja o Druidismo crescem e se mesclam com as tendências espirituais originais ou mesmo o tamanho do ego de quem pesquise. Nesta fase é preciso muito cuidado para buscar informação de qualidade sobre o que realmente ele seja.

Feito esse contato e decidindo-se por uma corrente do Druidismo, posso agora falar como seja o processo de “conversão” para o Druidismo Histórico, que é a abordagem tratada nesse site. Aqui vão algumas dicas simples que vão ajudá-lo a aproximar-se dos Deuses e ao invés de converter-se a uma doutrina que lhe seja entregue pronta e mastigada, descobrir o que é estar em casa quando caminhar no seu próprio “bosque sagrado“.

Estude os Deuses sem esperar encontrar sua divindade de culto. No Druidismo o culto é a todos os Deuses e Deusas celtas (e apenas celtas), e quando for o momento cada uma virá conversar com você. Talvez você nunca se identifique de forma mais intensa com uma ou três divindades, mas sinta-se à vontade em meio a trezentas e dezenove delas de uma só vez. A relação com os Deuses é extremamente importante para descobrir a sua forma de vivenciar a sua fé;

Trabalhe suas frases e interjeições. Acho que esta é única área em que você realmente precisará converter algo em outra coisa. Sua vida inteira você foi criado com uma ou mais tendências espirituais e desenvolveu hábitos que precisam ser adaptados à sua nova realidade. Por exemplo: ao invés de falar “pelo amor de deus” você pode simplesmente falar “pelos Deuses“, já que existem Deuses para todos os sentimentos e muitos tratam de outras coisas que não o amor, ou ao invés de dizer “meu deus” você pode utilizar “meus Deuses“, utilizando uma construção no plural que é simples e, principalmente, pode livrá-lo de lidar com um preconceito mais acentuado, especialmente no início da sua caminhada como druidista. Nesse mesmo sentido vem uma de minhas prediletas: “graças a todos os Deuses“.

Claro, tendo encontrado divindades com as quais tenha maior afinidade algumas expressões surgem com o estudo. Eu costumo utilizar algumas como “pelos raios de Taranis” ou “em nome de [nome da divindade]“, sendo que para essa eu uso nomes dos Deuses com quem eu me sinta mais próximo. E por aí vai. Esse exercício é interessante, divertido e importante para refletir o seu estudo sobre os Deuses, além de reforçar sua conexão com Eles. Assim, a partir de hoje disponibilizamos a seção “Trabalhe suas Expressões“, onde constarão frases em português e inglês para quem desejar iniciar esse trabalho.

Aprenda a respeitar a diversidade. Quem quer respeito precisa aprender a respeitar, e isso não se trata de “dar a outra face”, mas compreender que as pessoas temem o que não conhecem, ainda mais quando houveram mais de dois milênios de propaganda negativa acerca de algo. Saiba se fazer respeitar aprendendo a compreender que os ataques que venha a sofrer são, na grande maioria das vezes, fruto da desinformação e do medo, muitas vezes de pessoas que só desejam  o seu bem. Quanto às demais pessoas, simplesmente ignore os ataques que forem fruto da maldade nos corações alheios pois, sinceramente, você terá muito o que vivenciar para ter tempo a gastar com bobagens. Conheça seu caminho e informe às pessoas interessadas sobre o que ele seja quando houver uma oportunidade verdadeira para isso, não a fim de “convertê-las”, mas de mostrar o que o Druidismo realmente seja e diminuir distâncias que o fundamentalismo religioso só tem feito maiores.

Vivencie a cada momento de seu dia. O Druidismo não necessita de grandes rituais ou pompas. É uma religião do dia-a-dia, e por isso que uso o termo descobrir-se. São nos pequenos hábitos que você se torna druidista, e quando você compreender que onde houverem árvores haverão fadas e morder um pedacinho da sua maçã para deixar aos pés daquela planta ignorada pelo resto das pessoas como uma oferenda de agradecimento por elas estarem ali, olhando por todos nós, você estará caminhando ao lado dos Deuses.

Anúncios

Responses

  1. Tb adorei o tema! Engraçado, se vc pegar os principais Deuses das religiões pagas, notam-se vários fundamentos semelhantes, impressionante… uns parecem apenas mudar de nome… as diferenças principais são quanto à língua e a cultura do povo.

    Pode-se perceber q o culto aos Deuses pagãos, além de ser o mais antigo, como tem coisas em comum… até mesmo fazendo pensar se por acaso não tenham surgido de um mesmo lugar e devido à antiga vida nômade, foi se alastrando e se adaptando conforme o povo do lugar… Quem sabe o Druidismo não terá sido o principio de tudo, sendo os Deuses adorados mesmo que com outros nomes, embora com mesmos atributos?

    Admito serem apenas suposições…

  2. Adorei o tema! Trabalhar as interjeições é um exercício de atenção porque são hábitos fortemente arraigados, mas vale a pena!!!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: