Publicado por: Malhado | 20-01-2011

Não adianta ficar só reclamando

Recebi uma daquelas mensagens que circulam pela Internet, e eu sou sempre muito cuidadoso com esse tipo de mensagem pois a maioria são “hoaxes” (literalmente, “embustes”, ou pegadinhas nem sempre inocentes que circulam pela internet) e muitas são vírus ou artifícios para prejudicar ou mesmo roubar informações de quem os abra, mas esse eu decidi testar pois era um telefonema gratuito. Segui as instruções, pois sou favorável à aprovação do projeto em questão, e dei meu voto. O interessante foi descobrir o serviço, que depois vou esmiuçar em busca de projetos que sejam mais representativos do interesse da comunidade pagã em geral, e recomendo a quem queira a votar.

Segundo o e-mail, as taxas de telefone fixo têm os seguintes valores: R$ 40,37 (residencial) e R$ 56,08 (comercial), mas independentemente do valor, a taxa em si é abusiva. Só devemos pagar pelo que consumimos. Liguei então para 0800 – 61 96 19 e digitei 1 (um), depois 1 (um), e em seguida 1 (um) novamente, para votar a favor do cancelamento da taxa de telefone fixo. O Projeto de Lei n.º 5476 é do ano de 2001, e defender minha opinião foi simples, rápido e me fez sentir muito bem por saber que fiz minha parte.

A partir daí, fiquei pensando em quantas iniciativas não existem e sobre as quais nada conhecemos pela simples falta de divulgação e pela ausência de mobilização a que estamos acostumados. Verdade seja dita, muita coisa poderia melhorar em nossas vidas se, ao invés fazer algo só quando o mundo acaba devido a catástrofes naturais ou quando é época de copa do mundo, resolvêssemos fazer algo e nos mobilizar, seja como  pessoas, como famílias ou como comunidade.

O e-mail trazia uma frase que me chamou bastante a atenção: “não adianta ficar só reclamando“. E isso é um fato sobre o qual precisamos tomar consciência para que possamos melhorar nossas vidas e, estendendo essa atitude para o Druidismo em si, fazer valer os direitos que temos muitas vezes apenas no papel, pois num país onde candidato a eleição tem a pachorra de falar que “esse país não é tão laico assim“, não duvido nada que nossos direitos tornem-se ainda menores caso fiquemos confortavelmente inertes e em silêncio, ignorando os sinais até que um dia em que peçamos aos Deuses que a solidariedade alheia talvez olhe para nós quando alguma catástrofe nada natural nos atingir sob a bandeira fundamentalismo religioso, e como uma macabra reedição do “Martelo das Feiticeiras” forjado para nos oprimir “na forma da lei”.

A população brasileira entende cada vez menos os conceitos de tolerância e convivência, mas mostra nas horas de necessidade que nosso coração é muito mais imenso que a mesquinharia de alguns poucos. Não custa nada trabalharmos para que esses conceitos jamais sejam diminuídos ou esquecidos.

Anúncios

Responses

  1. Bom comentário =D Acho q é preciso ter voz ativa, se o conformismo fosse bom, o Homem ainda estaria se pendurando em árvores. O Homem precisa reaprender a ser objeto de ação, batalhar por si e fazendo sua parte p/ um mundo melhor. Abração!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: