Publicado por: Malhado | 14-02-2011

Altares de apoio

Esses altares, que podemos entender como auxiliares ou complementares, têm uma ou mais funções específicas e bem definidas, e servem para potencializar certos objetivos. São versões menores que muitas vezes não têm todos os elementos do altar principal do seu ambiente, mas não são em hipótese alguma menos importantes que ele, mas extensões do mesmo, como galhos de uma árvore que estão conectados ao tronco formando um só organismo.

Para ilustrar bem como um altar desse tipo pode ser construído de forma simples e natural, basta pegar alguns elementos e organizá-los de forma a montar um ambiente que possa refletir um propósito bem definido em nossos corações. Apenas tenha paciência e, antes de colocar desenhos precipitadamente num papel e começar a engessar uma ideia que precisa ser cultivada e não construída, concentre-se em imaginar alguns pontos principais que norteiem os motivos para esse cantinho existir.

Este é um momento importante, pois se você não souber aonde quer chegar caminhará a esmo, e isso é como tentar navegar no oceano sem uma bússola ou ignorando as estrelas no céu. Você estará à deriva, e o espaço que está construindo será tão seu quanto um terreno baldio e abandonado num canto do mundo que você sequer sonhe que exista.

Lembre-se: um altar é, sempre, um local de foco.

A partir daí, vamos imaginar possibilidades, mas sem nos prendermos a formatos ou receitas de bolo, a fim de montar um espaço sagrado que transborde essas energias. Anote se quiser as linhas gerais das coisas que ache interessante ter ali ou apenas vasculhe seus pertences até os objetos se apresentarem a você. Encontrar a própria maneira de “cuidar do seu jardim” é muito importante no processo de autoconhecimento, e o altar reflete esse processo com uma perfeição impressionante.

Um Exemplo Prático

Como podemos escolher um ou mais desses objetivos, vamos colocar a família, a leitura, seja por estudo ou por prazer, e a cura nele.

Para a família, fotos dos seus parentes mais queridos e próximos, como pai, mãe, filhos e cônjuge. Quem sabe ainda um marcador de livros feito em madeira ou prata que algum dos seus antepassados deixou de herança à família, por exemplo, cuidadosamente pousado à frente das fotos quando não estiver em uso no seu livro predileto.

Para a leitura, seu livro predileto ou o livro que esteja lendo no momento. Talvez a parte mais simples de se visualizar.

Para a cura, uma moringa d’água ao lado de um belo abajur, quem sabe também de família ou apenas algum que você ache que tenha haver com o porta-retratos que escolheu, por exemplo, e que tenha a função de tornar aquele ambiente claro para inspirar e absorver ideias, varrendo o cansaço e a preguiça de ler que te afastam dos estudos para aquele concurso, para sua formação profissional, para suas pesquisas sobre celtas ou mesmo para o seu lazer.

Utilizando o Seu Espaço

Está montado o seu altar de apoio, e para conectá-lo ao seu altar principal apenas compreenda que ele é parte tanto daquele altar quanto de você. Agora é preciso colocá-lo para funcionar e dar-lhe a devida atenção, pois um altar não é algo estático e precisa de uso. Você pode inclusive chamar esse altar de criado mudo ou mesa de cabeceira, e ler um bom livro antes de dormir. Tomar a água pedindo aos Deuses para compreender o que leu e receber Sua Inspiração enquanto dormir, apagar a luz do abajur e ter uma reconfortante noite de sono.

É interessante também observar como, à medida que você crie espaços sagrados, você se vê dentro de uma teia formada pelas linhas de energia que os conectam ou mesmo, dependendo de como arrume seu lar, morar dentro de um grande altar formado pela soma dos que tenha em casa, entrelaçados à decoração e ao seu próprio estilo de viver.

Anúncios

Responses

  1. E é bastante interessante como um altar “descentralizado”, com focos adjacentes, pode se tornar algo maior que a soma dos demais. No meu templo, possuo 4 altares-satélite, por assim dizer, que replicam a cosmogonia de minha tradição.

    Excelente artigo.

  2. Interessante… nunca tinha pensado em altares desta maneira. Um altar principal e vários conectados dá a impressão de que o Sagrado permeia por todos os cantos da casa… curti!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: