Publicado por: Malhado | 07-12-2012

1° dia druídico – Por que Druidismo?

A maioria das pessoas responde a esta pergunta falando sobre como os Deuses os trouxeram até o caminho, entretanto quero falar não apenas sobre o como fui trazido até aqui, mas porque pintei minha alma com a tinta azul das antigas batalhas, cobri meu corpo com o manto vermelho, encontrei apoio num galho seco caído ao lado da trilha que formei com meus passos, olhei adiante e adentrei o Bosque Sagrado no qual hoje converso com os mesmos Deuses que aqui me permitiram chegar.

Eu olho para o mundo em que vivemos e vejo pessoas exaltando suas escolhas e as utilizando como arma para diminuir tantos outros pontos de vista quanto possam. Vejo-as seguir líderes que prometem um caminho tranquilo com recompensas e glórias em troca da liberdade tão alegremente desprezada, observo o embate de opiniões derrubar governos, destruir cidades e verter sangue de “culpados” e “inocentes” sobre o mesmo solo, pintando o planeta com a cor do manto que abracei enquanto a maioria das pessoas prefere “esquecer-se” que o sangue inerte em fotos e notícias estranhamente corriqueiras  pulsa em cada um de nós e preferem ignorar que, independente de nossas crenças, conceitos ou ideologias, somos todos partes de uma teia cada vez mais incompreendida, distorcida e ignorada, a qual reconheço como algo sagrado.

Eu não gosto desse mundo que vejo, onde ecossistemas são meros empecilhos ao lucro e o respeito à vida é um conceito frequentemente destruído em filmes que enaltecem criminosos e psicopatas ensinando elaboradas técnicas de crueldade ou pelas notícias que mostram a violência como algo normal num cotidiano corrido demais para que ponderemos antes de iniciar uma briga no trânsito ou outro evento fútil que possa ser “resolvido” descarregando frustrações de calibre 38 no peito de outra pessoa. Não compreendo um mundo onde poder é maior que honra, dinheiro mais importante que ética e valores resumem-se a um extrato bancário, quando não em contas impagáveis, filhas do consumo desenfreado.

Em choque por me espantar com o óbvio para o qual o mundo tornou-se cego, caminhei em busca de mim e conheci ou vivenciei muitas dessas coisas, cheguei finalmente aos Deuses mas só Os abracei verdadeiramente após meu espírito perambular por anos até compreender o motivo Deles terem me chamado. E assim aceitei-me Seu filho.

Quando conversei com Eles sobre qual a melhor forma de servi-Los, veio-me à mente que as pessoas buscam conhecer o Druidismo, mas não existem muitas fontes confiáveis à disposição. Eles já haviam me dado o ímpeto de escrever, então coloquei meu espírito em movimento qual tempestade de raios, as Inspirações brotavam em flashes de pura luz e energia, reverberando em cada canto do meu ser. Mas vi nas pessoas o desejo de encontrar guias que lhes tirassem a responsabilidade pelos próprios passos e as conduzissem, qual ovelhas num rebanho, até um “lugar melhor” sem que precisassem se incomodar com a mudança necessária em cada um de nós para crescermos. Então calei-me ante a preguiça que vi.

Adentrei o Bosque e ali fiquei, recebendo notícias de andarilhos que passavam ao longe ou encontrando uma ou outra pessoa nas raras vezes que saí do meu confortável isolamento. Mas os Deuses têm Seus próprios desígnios e do que eu julguei ser recolhimento Eles fizeram estudo e vivência. Da minha revolta fizeram compreensão e por fim da minha ignorância fizeram razão, e caminhei para fora do Bosque sabendo o porquê do meu caminho no Druidismo.

Porque é necessário mais que mera literatura e academicismo. Há muitos eruditos e versados que abraçam o estudo dos celtas e mesmo o Druidismo como sua fé, e é extremamente importante que eles existam, mas é necessário também quem olhe o outro nos olhos, principalmente quando o reconhecemos como parte de nós mesmos, e transmita algum conhecimento a respeito de valores e formas de vivenciar a nossa fé de maneira mais pessoal, simples e natural. É necessário quem esteja disposto a vislumbrar e possa aprender a lidar com a realidade tanto de quem esteja acordado para a realidade do mundo quanto de quem viva adormecido pelas promessas de uma sociedade doente e analisar o como estamos, a fim de propor soluções capazes de nos fazer conviver e respeitar o ciclo e o tempo de cada um.

O planeta precisa de pessoas capazes de dialogar ao invés das que anseiam destruir e segregar “em seu nome” ao referir-se a suas divindades, e precisamos de curadores aptos não apenas a fazer algo por quem já conheçam, mas por todos, reconhecendo quando cada um precisa caminhar sozinho pois ainda não chegou seu tempo de tornar-se algo diferente do que esteja acostumado, mas prontas a estender uma mão para auxiliar quem adentre o Bosque.

Meu coração ainda é guerreiro, e embora guerreiros sejam também necessários, descobri que essa é minha busca, e esse é o meu porquê.

Anúncios

Responses

  1. Saindo aos poucos do labirinto em que adentrei, encontrei carinho em palavras e reenergizei-me mais um pouquinho. Obrigada por me emocionar!

  2. Emocionante mesmo, pois senti em varios momentos durante a leitura, aquele toque no peito fazendo-me refletir sobre os meus atos e costumes atuais após o meu encontro com o druidismo, sobre certas coisas que devo fazer e que decisóes firmes devo tomar… sem mais adiamentos. Lendo seu depoimento me fez perceber que devo resolver assuntos comigo mesmo e que por insegurança não tive a atitude de enfrentá-los… Obrigado do fundo do peito Bardo Malhado.

  3. Emocionei =}


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: